15/06/09

BADALADAS TEXTO 32 - 12 JUNHO 2009

1809: SEGUNDA INVASÃO FRANCESA

Cronologia dos principais acontecimentos

Janeiro, 28 – O marechal francês Soult, na cidade galega da Corunha, recebe instruções escritas de Napoleão para que marche pelo Porto sobre Lisboa, ao longo da faixa costeira.

Fevereiro, 13 – O exército de Soult tenta atravessar o rio Minho em Vila Nova de Cerveira.

Fevereiro, 16 - O exército francês tenta nova travessia do Minho em Caminha, na foz do rio.

Março, 7 - O general Wellesley, futuro duque de Wellington, aconselha o governo britânico a defender Portugal, demonstrando a maneira de o realizar.

Março, 8 - O general britânico Beresford é nomeado comandante em chefe do Exército português com o posto de Marechal do Exército.

Março, 10 - O corpo de exército de Soult, tendo subido o rio Minho desde a foz até Orense e dirigindo-se depois para a fronteira portuguesa, entra em Portugal pela veiga de Chaves. Começa assim a 2.ª Invasão Francesa.

Março, 12 - Soult conquista Chaves, dirigindo-se para o Porto, por Braga.

Março, 15 - O marechal Beresford assume o comando do exército português.

Março, 16 - A guarda avançada do corpo de exército de Soult, comandada pelo general Franceschi, derrota as forças portuguesas em Salamonde.

Março, 17 - O general Bernardim Freire de Andrade é massacrado perto de Braga, por populares que o acusavam de traição.

Março, 18 a 20 - Soult vence as forças portuguesas que defendiam Braga em Carvalho d'Este.

Março, 21 - O brigadeiro Silveira, comandante da divisão que defendia Trás-os-Montes, reocupa Chaves.

Março, 25 - O brigadeiro Silveira conquista o forte de S. Francisco, de Chaves, aprisionando a guarnição francesa.

Março, 27 a 29 - O Porto é atacado, conquistado e saqueado, pelo exército francês de Soult. Desastre da Ponte das Barcas, no dia 29.

Março, 31 - Uma brigada de cavalaria do exército de Soult, comandada pelo general Caulaincourt, ocupa Penafiel, dirigindo-se para a ponte de Canaveses que tenta atravessar, sendo rechaçado por forças militares portuguesas.

Abril, 2 - Wellesley é nomeado comandante-em-chefe do exército britânico na Península.

Abril, 5 - O general José António Botelho de Sousa, comandante das forças portuguesas no Minho, reocupa Braga.

Abril, 9 - O general Silveira instala as suas forças nas proximidades de Amarante.
- O marechal Beresford chega a Tomar, onde toma o comando das forças operacionais portuguesas concentradas nesta cidade.

Abril, 13 - Silveira ataca e obriga a retirar a divisão Loison, reocupando a cidade de Penafiel. Retirar-se-á por sua vez no dia 15.

Abril, 18 / Maio 2 - As forças portuguesas do general Silveira defendem a ponte de Amarante do ataque de uma força francesa comandada pelo general Loison.

Abril, 21 - Assinatura da Convenção entre Portugal e a Grã-Bretanha, sobre um empréstimo de 6.000.000 libras esterlinas.

Abril, 27 - Wellesley toma o comando do exército britânico em Portugal, substituindo sir John Craddock.

Maio, 2 - O exército britânico, comandado pelo general Wellesley, incorporando algumas unidades portuguesas, chega a Coimbra.
- Forças do exército francês comandadas pelo general Delaborde atacam a Ponte de Amarante e obrigam as forças do brigadeiro Silveira a retirar. A defesa da Ponte de Amarante durou de 18 de Abril a 2 de Maio.

Maio, 4 - O general Wellington é nomeado marechal general do exército português, por Carta Régia.

Maio, 8 - O exército português comandado por Beresford chega a Lamego, vindo de Tomar por Coimbra e Viseu.
- As forças comandadas pelo general Silveira ocupam Vila Real, obrigando a cavalaria francesa de Caulaincourt a retirar.

Maio, 12 - As forças de Silveira ataca a divisão Loison na serra do Marão, obrigando-a a retirar para Amarante.
- Wellington bate Soult no Porto, obrigando-o a retirar para Espanha por Trás-os-Montes.

Maio, 13 -- Loison retira de Amarante, impossibilitando que o exército francês de Soult pudesse vir a retirar de Portugal pela Beira.
- O marechal Beresford chega a Amarante. O exército português de operações é reorganizado em 3 brigadas de Infantaria de Linha, 1 de Milícias e 1 de Caçadores. A brigada de Silveira ocupa Penafiel.

Maio, 18 - O exército francês de Soult abandona Portugal por Montalegre. A 2.ª Invasão Francesa termina.

1 comentário:

Carolina disse...

deviam falar sobre o General José António Botelho de Sousa pois em H.G.P e a nova ciencia que estuda os antepassados precisamos